Carrinho de Compras

* Calcule seu frete na página de finalização.

* Insira seu cupom de desconto na página de finalização.

SKATE NAS OLIMPÍADAS

 

 

 

Skate: história do esporte que ganhou espaço nos Jogos Olímpicos de Tóquio

 

Como surgiu a modalidade esportiva que se popularizou em todo o mundo e virou referência para a moda.

 

A origem do skate é controversa, mas acredita-se que tenha surgido entre as décadas de 1950 e 1960, na Califórnia, nos Estados Unidos. Em um período de maré baixa e poucas ondas, surfistas colocaram rodas de patins em uma prancha e começaram a “surfar” pelas ruas, dando origem ao “sidewalk surfing” (em português, esporte de calçada).

Sem imaginar, eles deram início à história de um esporte que ganhou adeptos em todo o mundo.

Aos poucos, o skateboard – como passou a ser chamado posteriormente –, foi conquistando seu espaço. Assim, em 1965, os shapes passaram a ser fabricados em grande escala e também ocorreram os primeiros campeonatos da modalidade.

Com o passar do tempo, os modelos de skate foram modernizados para se adequar às necessidades dos atletas: as rodas, antes de ferro, foram substituídas pelas de poliuretano; e as pranchas retas ganharam novas formas, e material dando espaço às atuais versões – skateboard (tradicional), longboard (mais longo) e cruiser (menor).

 

Skate no Brasil

 

Em meados dos anos 1960, jovens norte-americanos que vinham visitar o Brasil, bem como brasileiros que viajavam para os Estados Unidos, trouxeram o esporte, inicialmente, para o Rio de Janeiro. Aos poucos, o skate foi se difundindo e ganhando novos simpatizantes em todo o território nacional, principalmente no eixo Rio-São Paulo.


 Já na década de 1970, a prática se popularizou de tal forma que passaram a ser publicadas revistas destinadas a esse público. Outro setor que investiu no esporte foram as indústrias, que faturaram com a venda de skates. Além disso, as primeiras competições começaram a ser realizadas nas principais cidades.

No fim dos anos 1970 e ao longo de 1980, houve uma desvalorização do esporte, pois os fabricantes começaram a se dedicar à produção de bikes e patins – o que ocasionou na perda de patrocinadores para as competições.


Porém, apesar de ter enfrentado um período de dificuldades econômicas, o skate voltou a ganhar mais visibilidade no País na década de 1990, aquecendo o mercado de eventos e campeonatos da modalidade. Desde então, atletas brasileiros vêm se profissionalizando e conquistando seu espaço em meio a grandes nomes mundiais.

 

10 maiores skatistas

 

          Os 10 maiores nomes do skate mundial que são inspiração para novas e velhas gerações de atletas.

1. John Rodney Mullen (Rodney Mullen), 54 anos, americano.      
2. Anthony Frank Hawk (Tony Hawk), 52 anos, americano.
3. Robert Dean Silva Burnquist (Bob Burnquist), 44 anos, brasileiro.
4. Eric Koston, 45 anos, americano.
5. Daniel Way (Danny Way), 46 anos, americano.
6. Robert Stanley Dyrdek (Rob Dyrdek), 46 anos, americano.
7. Robert Lance Mountain, 56 anos, americano.
8. Daewon David Song, 45 anos, coreano.
9. Chris Cole, 38 anos, americano.
10. Christian Rosha Hosoi, 53 anos, americano.

 

Jogos Olímpicos de Tóquio

 

O skate está tão consolidado como esporte que, finalmente, virou modalidade nos Jogos Olímpicos de Tóquio, adiados para 2021 devido à pandemia do novo Coronavírus.

 

Após o encerramento da primeira janela classificatória para as Olimpíadas, todos os 21 nomes que integravam o top 20 do ranking mundial foram “convocados”.

 

A Seleção Brasileira de Skate conta atualmente com 22 integrantes:

 

Park feminino - Dora Varella, Isadora Pacheco, Yndiara Asp, Victoria Bassi e Leticia Gonçalves;

 

Park masculino - Luizinho Francisco, Pedro Barros, Pedro Quintas, Mateus Hiroshi, Murilo Peres e Héricles Fagundes.

 

Street feminino - Pamela Rosa, Rayssa Leal, Leticia Bufoni, Gabriela Mazetto, Virginia Fortes Aguas e Isabelly Ávila;

 

Street masculino - Kelvin Hoefler, Giovanni Vianna, Carlos Ribeiro, Felipe Gustavo e Lucas Rabelo.

 

O adiamento dos Jogos de Tóquio abriu um novo ciclo para a Seleção, permitindo com que Lucas Rabelo se tornasse mais um “convocado”. Com um terceiro lugar no Oi STU Open em 2019, o skatista hoje integra o top 20 do ranking mundial.

 

O Brasil é uma das grandes promessas, já que conta com skatistas de alto nível.

Estamos na torcida!

 

Inspiração para moda

 

Embora inicialmente parecesse não haver qualquer relação entre skate e moda, a verdade é que a modalidade esportiva influenciou diretamente na vestimenta dos atletas – e também inspirou estilistas a criarem coleções com um visual bem urbano.


Para executar as manobras com sucesso, é importante usar roupas confortáveis, mas sem perder o estilo. Por isso, camisetas, bermudas largas e tênis não podem faltar nas sessões.

Os bonés, além de protegerem contra o sol, completam o visual.


Na Dope Company, temos acessórios para skate, roupas e tudo o que você procura na moda streetwear.

 

Confira aqui!